sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Preparador do Vasco traça trabalho especial para a volta de Eder Luis

 

Rodrigo Poletto garante atacante em boas condições nos primeiros jogos de 2012


Por GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro

Eder Luis atacante do Vasco (Foto: Fred Huber / GLOBOESPORTE.COM)Eder Luis recebeu um cronograma para as férias
(Foto: Fred Huber / GLOBOESPORTE.COM)
O preparador físico do Vasco, Rodrigo Poletto, garante que Eder Luis estará pronto para os primeiros compromissos da equipe na temporada de 2012. O atacante foi desfalque na reta final do Brasileiro devido a uma fratura no pé esquerdo. Poletto tem acompanhado a recuperação e traçou um planejamento especial para as férias do jogador.
- Passamos um trabalho para que ele faça nesse período. Já vai chegar na pré-temporada podendo fazer algumas atividades. Vai estar à disposição nos primeiros jogos do Carioca e da Libertadores, com certeza - disse o preparador, em entrevista à Rádio Brasil.
Em negociação para renovação de contrato, Poletto garante que permanecerá no clube em 2012.
- A vontade é de ficar, e não vai ter problema nenhum neste sentido. Já conversei com o Rodrigo Caetano sobre o assunto e faltam poucos detalhes. Trabalhar no Vasco tem sido um prazer e vamos dar continuidade ao que foi feito neste ano.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Reportagem Jornal Pioneiro- Caxias do Sul RS

Cruz de Malta de Dona Marisa brilha em Lourdes


Caxias do Sul – Uma casa na Rua Luiz Michielon, no bairro Lourdes, é quase a extensão do Estádio de São Januário, no Rio. Nela reside Dona Marisa Menegotto Poletto, 61 anos, mãe do preparador físico Rodrigo Poletto, do Vasco, caxiense criado no campus da UCS e no gramado do Alfredo Jaconi. Neste domingo, é dia de toda a família torcer pela Cruz de Malta, símbolo que os vascaínos pegaram emprestados da história para colocar no hino do clube.

– Acho que vamos ganhar esse título. Deus me diz que o título vai ser do Vasco – afirma Dona Marisa, conhecedora nata de futebol.

Sim, ela não caiu do espaço no universo da bola por causa da profissão do filho. Sempre gostou. Sabe nomes de campeonatos, times, jogadores, atletas veteranos e novatos:

– O Ricardo Gomes convidou o Rodrigo para ir para o Vasco. Eles chegaram quando o time estava mal na Taça Guanabara. Depois, ganharam tudo e só perderam a final da Taça Rio nos pênaltis, para o Flamengo. O Ricardo mesclou os mais velhos, como o Felipe, com os mais novos, como o Bernardo, e a equipe decolou.

Sobre a trajetória do filho, Dona Marisa sabe mais ainda. E conta como tudo começou.

– Aos 16 anos, ele começou a trabalhar no Banco Mercantil. Fez Ciências Contábeis e tudo. Foi convidado até para gerente do banco quando tinha 20, 21 anos. Só que um dia chegou em casa e disse que queria fazer Educação Física na UCS. A gente apoiou e ele começou a estudar. Fez pós-graduação em Londrina e mestrado em Cuba – lembra a mãe.

No futebol, Rodrigo começou nas categorias de base do Juventude e tem várias passagens pelos profissionais. Numa dessas, em 2002, conheceu Ricardo Gomes e Cristóvão Borges, com quem retomou a parceria este ano no Vasco. Dona Marisa recorda que os três estavam quase embarcando para o Oriente Médio antes da proposta do clube carioca:

– O Ricardo Gomes iria trabalhar nos Emirados Árabes e convidou o Rodrigo. Disse que era para ele ir estudando inglês. Mas, nesse meio tempo, veio o Vasco.

E é lá no Estádio Engenhão, no Rio, que ele pode conquistar o título brasileiro pela primeira vez na carreira. Em Caxias do Sul, Dona Marisa prepara o ritual de sempre.

– Assisto ao jogo de pé. Vou jogando junto. Quando eu vejo, parece que estou dentro da televisão – revela.

O pai de Rodrigo, Seu Abramo, 76 anos, o irmão Rogério, 32, e a irmã Tatiana, 41, também devem assistir ao jogo com o Flamengo juntos. Cada um com uma função.

– Digo para eles e ao Abramo segurarem um jogador do Flamengo, que pode ser o Renato Abreu, porque eu vou segurar o Ronaldinho Gaúcho – brinca a mãe, confiante de que a faixa de campeão vai desembarcar em Caxias do Sul para se juntar a pôsteres e camisas do Vasco na casa em Lourdes.

adao.junior@pioneiro.com
ADÃO JÚNIOR

Torcedora até do Panamá
Assim como a mãe de Tite, Dona Marisa também já torceu para vários times, aqueles em que o filho Rodrigo defendeu. Além da camisa do Ju, ela já vestiu as cores do Dínamo de Moscou (Rússia), quando o filho trabalhava com Ivo Wortmann, da seleção do Panamá, quando o técnico era Alexandre Guimarães, e do
Paysandu-PA, de Edson Gaúcho. Assistiu a diversos jogos do Ju no Alfredo Jaconi e até nos estádios Olímpico e Beira-Rio.





  • UM DELES LEVANTARÁ O TROFÉU

    Por volta das 19h deste domingo, um caxiense da gema estará festejando o título de campeão brasileiro, inédito em suas carreiras. Poderá ser Adenor Bachi, o Tite, 50 anos, técnico do Corinthians, ou Rodrigo Poletto, 39, preparador físico do Vasco da Gama.

    O primeiro surgiu para o futebol no Caxias, onde foi jogador e técnico, tendo participado da conquista do Gauchão de 2000, a maior da história do clube. Já o segundo brilhou no Juventude, onde teve presença em campanhas destacadas no Brasileirão nos anos 2000. Curiosamente, ambos exibem uma conquista de Copa do Brasil nos currículos.

    Confira nas entrevistas a seguir as expectativas para a final e como eles chegaram até este momento.

    Pioneiro: O que essa conquista significaria para você, nos aspectos profissional e pessoal?
    Adenor Bachi, Tite: Profissionalmente, ganhar no Rio e São Paulo tem divulgação maior, embora a importância seja a mesma que em outros clubes. No aspecto pessoal, teria o mesmo valor que o Gauchão pelo Caxias, a Copa do Brasil pelo Grêmio e a Sul-Americana pelo Inter.

    Pioneiro: Qual foi o pior momento nesta campanha?
    Tite: O momento mais difícil foi depois do jogo com o Santos, em que saímos na frente e perdemos por 3 a 1, e jogando bem. Logo depois viria o São Paulo, que está tendo a maior rivalidade, e se ele nos vencesse abriria quatro pontos. Aí, a nossa equipe se instabilizaria. Mas empatamos e seguimos. O pessoal fala em outros momentos, mas esse foi o mais emblemático.

    Pioneiro: Por outro lado, quando você sentiu que o time poderia chegar?
    Tite: (pausa) Estou tentando procurar um marco... O 2 a 2 com o Vasco, quando merecíamos ter vencido... Contra o Flamengo, quando o time saiu perdendo e atropelou... Quando enfiou cinco no São Paulo... O jogo com o Inter, quando buscou o empate com 10 homens. Contra a dupla Gre-Nal, fizemos 10 dos 12 pontos, acho que ninguém fez isso. Há o jogo com o Cruzeiro, com o pênalti absurdo, a virada com o Atlético-MG... Acho que há alguns momentos, mas acima de tudo tivemos regularidade, o que nos habilita (ao título).

    Pioneiro: Você pensa no futuro, até porque o presidente Andrés Sanchez está indo para a CBF?
    Tite: Deixo o planejamento para a direção. Vamos tratar disso depois do campeonato. Eu estou aqui há um ano e alguns meses e eles já sabem como trabalho.

    Pioneiro: Como está o Edenilson, que saiu do Caxias há pouco?
    Tite: Muito bem. Tenho usado ele como segundo volante ou quarto homem pela direita, fechando. É um jogador centrado, tem qualidade e está evoluindo bastante, a ponto de ficar no banco no lugar de outros com mais nome.


  • Pioneiro: Num ano em que você foi campeão da Copa do Brasil e ficou entre os quatro da Sul-Americana, o que representaria a conquista do Brasileirão?
    Rodrigo Poletto: Este foi um ano especial profissionalmente. Chegamos (com o técnico Ricardo Gomes e o auxiliar Cristóvão Borges) aqui numa situação difícil, pois o Vasco estava ameaçado de cair no Carioca. Ficamos vice neste, ganhamos a Copa e fomos bem na Sul-Americana. O Brasileiro é uma competição difícil, que exige maturidade e regularidade, é desgastante. Ganhar seria muito bom.

    Pioneiro: O momento mais difícil foi com o AVC do Ricardo Gomes. Como ele foi superado?
    Poletto: Foi um momento de total desgaste psicológico. Ricardo é o nosso comandante, o grande líder, que passava tranquilidade, é agregador. Foi muito difícil, pois ocorreu num domingo e, no dia seguinte, havia treino. A gente não sabia o que dizer para os atletas, pois o Ricardo corria risco. Mas mostramos que a única forma de retribuir o carinho e a atenção dele seria seguir o trabalho e não deixar o clube cair. E o grupo se uniu mais.

    Pioneiro: Como o grupo recebeu o seu estilo de trabalho?
    Poletto: No primeiro dia, o Ricardo brincou: “estou trazendo um gauchão que cobra muito”. Mas foi tranquilo. Não cheguei querendo mudar, mas para fazer um trabalho integrado com todos os setores do clube, como médico, fisiológico, e deu certo. Foi importante também a sintonia da comissão, que falou a mesma linguagem.

    Pioneiro: Vocês já estão encaminhando a renovação, pensando na Libertadores?
    Poletto: Estamos conversando. O Ricardo está no projeto, devendo voltar a partir de março, abril, pois hoje ainda caminha com um pouco de dificuldade. O Rodrigo Caetano (diretor executivo de futebol) tem uma proposta boa de continuidade. Ele é muito importante no trabalho, pois blinda o vestiário e dá condições para a comissão técnica fazer a sua parte.

  • Treino na sala de Musculaçao C.R.Vasco da Gama








    terça-feira, 29 de novembro de 2011

    Alecsandro realiza treinos até após o fim dos jogos

    É comum ver o atacante na academia após as partidas nas quais ele não atua os 90 minutos. Preparador físico elogia comprometimento do camisa 9


    Por Rafael Cavalieri Rio de Janeiro
     

    O juiz apita o final do jogo contra o São Paulo. Empate em 0 a 0 diante da torcida que lotou São Januário. Após o banho e a última conversa com o técnico Cristóvão Borges, os jogadores começam a se arrumar para ir embora. Já Alecsandro segue com roupa de jogo e vai para a academia do clube fazer uma rápida sessão de musculação. O que pode parecer um excesso de zelo para muitos é uma rotina para o camisa 9. Sempre que não atua os 90 minutos, e quando tem tempo para isso, o atacante realiza após os jogos uma sessão de exercícios complementares.
    O objetivo da musculação, em determinados casos combinado com uma sessão de exercícios aeróbicos na esteira ou na bicicleta, é não ficar parado e perder um dia de treinamento. Quando ele joga pelo menos um tempo, os exercícios não se fazem necessários. Mas o mesmo não acontece quando ele passa boa parte do jogo no banco de reservas.
    Alecsandro faz alongamento (Foto: Marcelo Sadio/vasco.com.br)Alecsandro faz alongamento até após os jogos do Vasco (Foto: Marcelo Sadio/vasco.com.br)
    Segundo Alecsandro, o seu corpo sente falta de atividade quando ele ganha uma folga. E isso pode acabar influenciando diretamente no seu próprio rendimento técnico.
    - Faço esse complemento para me preparar melhor. Como não venho jogando regularmente, preciso estar em alto nível para quando for solicitado. Nós atletas profissionais sabemos o quanto é necessário ter esse trabalho auxiliar. Isso sempre me ajudou bastante no decorrer da minha carreira - explicou o jogador.
    Os exercícios de Alecsandro são feitos com supervisão da comissão técnica. O preparador físico Rodrigo Poletto afirmou que a prática é comum entre alguns atletas e cada caso é estudado de maneira individual. Segundo ele, o camisa 9 sempre se mostrou extremamente profissional e tem total consciência da importância deste trabalho complementar.
    Nós atletas profissionais sabemos o quanto é necessário ter esse trabalho auxiliar. Isso sempre me ajudou bastante no decorrer da minha carreira"
    Alecsandro
    - Com toda a sua experiência, o Alecsandro sabe como isso faz bem a ele. Então estipulamos sempre alguns exercícios após a solicitação feita por ele. Tem atletas que gostam de fazer este tipo de treinamento e isso é muito importante - afirmou o preparador, lembrando também como esse trabalho tem se mostrado fundamental nas últimas semanas nas quais o Vasco teve pouco tempo efetivo de treino.
    - Qualquer reforço muscular é fundamental. Temos tido pouco tempo. Mas cada indivíduo reage de uma maneira. Isto não é uma regra - finalizou.
    O Vasco volta a entrar em campo na próxima quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), contra o Universidad de Chile, no estádio Santa Laura. No primeiro jogo das semifinais da Sul-Americana, em São Januário, as equipes empataram em 1 a 1. Para seguir no torneio, o Gigante da Colina precisa de uma vitória por qualquer placar ou de um empate com dois ou mais gols. Um novo empate a 1 a 1, leva o jogo para pênaltis.
    Pelo Campeonato Brasileiro, o time volta a entrar em campo no próximo domingo, às 17h (de Brasília), contra o Flamengo, no Engenhão. O time é o vice-líder com 68 pontos, dois atrás do Corinthians. Será campeão se vencer e o Timão perder.

    segunda-feira, 28 de novembro de 2011

    Super-Heróis

     



    Preparador do Vascão exalta carga de trabalho dos atletas: 'Super-heróis'.

    Rodrigo Poletto reconhece que estratégia de adotar a força total nas duas competições representa um risco, mas confia na força de vontade do elenco.


    A partir das quartas de final da Copa Sul-Americana, contra o Universitario, o Vascão decidiu usar força máxima tanto nesta competição como também no Campeonato Brasileiro. A estratégia tem um ganho técnico, mas representa um risco grande envolvendo o desgaste dos jogadores. Prova disso foi que diante da Universidad de Chile, na última quarta-feira, não só o time caiu drasticamente de rendimento no segundo tempo como o apoiador Felipe ainda deixou o campo sentindo dores musculares. Tudo isso levou a um questionamento: o Vascão consegue suportar os próximos três jogos neste ritmo?
    O preparador físico do clube, Rodrigo Poletto, acredita que sim. Segundo Poletto, não só ele como todos os membros da comissão técnica estavam cientes do risco que corriam ao adotar tal postura. No entanto, foi desenvolvido uma programação de trabalho que prioriza o descanso para amenizar o desgaste. Mas ele reconhece também que nada disso seria possível sem contar com o espírito de superação e a dedicação dos jogadores. Tanto é que Poletto os considera simplesmente super-heróis.

    - Não é um trabalho comum, é um trabalho para super-heróis. E todos estão suportando bem. Eles estão se entregando muito. Não é fácil para um grupo aguentar 72 jogos em uma mesma temporada sendo que desses a maioria foram decisões, jogos com a carga emocional lá em cima. Agora, na reta final, estamos disputando duas competições com chances de nos tornarmos campeões. É um risco calculado, mas que no geral está dando certo - afirmou.

    Cristovao Borges e Alecsandro no treino do Vasco (Foto: Jorge William/Agência O Globo)Jogadores do Vascão treinam em São Januário.
    Poletto reconhece que o time caiu de produção no segundo tempo. No entanto, ele não acredita que este fato tenha relação direta com o cansaço ou o desgaste físico e emocional das últimas partidas.

    - Cada jogo tem a sua circunstância. Em certos momentos, na pressão de uma partida, acaba ocorrendo uma mudança tática não esperada, um erro pode afetar o psicológico e por aí vai... Além disso, enfrentamos uma equipe altamente qualificada que também veio com muita vontade de vencer. Não é só cansaço - explicou Poletto, lembrando que o planejamento é ainda mais difícil de se fazer quando se leva em consideração as viagens que o time fez e ainda irá fazer.

    - Não é fácil. Nas últimas semanas temos apenas feito trabalhos regenerativos porque não temos uma brecha sequer. Já estamos discutindo a viagem para o Chile na próxima semana. É um trecho longo de avião. Antes disso também temos um clássico importantíssimo diante do Fluminense. Tudo isso gera essa discussão. Mas foi o que eu falei. A resposta do grupo é maravilhosa. Tivemos pouquíssimas lesões se levarmos em consideração toda a maratona. O risco existe, mas optamos por ir com tudo nas duas competições - explicou.

    Trabalho com veteranos é diferenciado:

    Juninho Pernambucano, 36 anos, e Felipe, 34 anos, estão entre os jogadores que estão disputando todos os jogos. Pela idade avançada, a dupla tem tido um tratamento diferenciado por parte da comissão técnica. Quando normalmente os jogadores recebem um dia de treino físico regenerativo após as partidas, Felipe e Juninho realizam dois dias de treinos leves e exercícios de reforço muscular. E mesmo assim o risco de dores ainda existe, como as que tiraram Felipe mais cedo do último jogo. Mas mesmo assim, Poletto acredita que eles estão prontos para aguentar a reta final.

    - A gente leva em conta os fatores individuais de cada um na hora de definir e montar a programação de treinos. Alguns com mais idade demandam um cuidado maior e nós tomamos. Só que, como já falamos, existe a dose de risco. Mas se você me perguntar se eles estão prontos para aguentar os jogos eu digo que sim - finalizou.

    quarta-feira, 16 de novembro de 2011

    Preparador: nova sala de musculação do Vasco ajudará a prevenir lesões


    Clube inaugura espaço moderno nesta sexta-feira, e Rodrigo Poletto prevê melhora na performance dos jogadores


    Por GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro
     

    O Vasco completa, na manhã desta sexta-feira, mais um passo da revitalização de São Januário. Com apoio da Ambev, o clube inaugura a nova sala de musculação do futebol profissional. Ampliado e totalmente remodelado, o local dispõe de novo sistema de refrigeração, televisores, além de nova decoração com imagens da história do clube.
    Mas para a preparação física do clube, além do aspecto estético, as obras na sala de musculação foram fundamentais para a melhoria do trabalho com os jogadores. De acordo com o preparador Rodrigo Poletto, ter à disposição aparelhos modernos evitará lesões e irá aprimorar a performance dos atletas vascaínos.
    sala de musculação vasco são januário (Foto: Divulgação / Site Oficial do Vasco)Nova sala de musculação do Vasco conta com aparelhos de última geração (Divulgação / Site Oficial do Vasco)
    - É mais um passo que o Vasco está dando. Ter novos aparelhos, com tecnologia moderna, nos ajudará muito a evitar lesões. A sala é climatizada... Tudo isso dá uma motivação maior para os atletas. Temos aparelhos que reforçam a parte muscular prevenindo lesões e preservando a parte articular. São aparelhos com uma biomecânica moderna. Tudo isso vai nos ajudar na prevenção de lesões e no ganho de performance, nos dando uma condição melhor de trabalho - explicou o profissional cruz-maltino.
    A inauguração da nova sala será apenas nesta sexta-feira, mas os preparadores físicos do Vasco já testaram os aparelhos e promoveram um trabalho de adaptação com os jogadores.
    Além da sala de musculação, o Vasco também reformou os vestiários e a sala de imprensa, construiu o Setor Premium e, anteriormente, já havia renovado a pintura de São Januário.
    sala de musculação vasco são januário (Foto: Divulgação / Site Oficial do Vasco)Espaço em São Januário será inaugurado nesta sexta-feira (Foto: Divulgação / Site Oficial do Vasco)

    terça-feira, 15 de novembro de 2011

    NINGUÉM É SUBSTITUÍVEL !!!

    Na sala de reunião de uma multinacional o diretor nervoso fala com sua equipe de gestores.

    Agita as mãos, mostra gráficos e, olhando nos olhos de cada um ameaça: "ninguém é insubstituível"!
    ...
    A frase parece ecoar nas paredes da sala de reunião em meio ao silêncio.

    Os gestores se entreolham, alguns abaixam a cabeça. Ninguém ousa falar nada.

    De repente um braço se levanta e o diretor se prepara para triturar o atrevido:

    - Alguma pergunta?

    - Tenho sim. E Beethoven?

    - Como? - o encara o diretor confuso.

    - O senhor disse que ninguém é insubstituível e quem substituiu Beethoven?
    Silêncio…


    O funcionário fala então:

    - Ouvi essa estória esses dias, contada por um profissional que conheço e achei muito pertinente falar sobre isso. Afinal as empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas, no fundo continuam achando que os profissionais são peças dentro da organização e que, quando sai um, é só encontrar outro para por no lugar. Então, pergunto: quem substituiu Beethoven? Tom Jobim? Ayrton Senna? Ghandi? Frank Sinatra? Garrincha? Santos Dumont? Monteiro Lobato? Elvis Presley? Os Beatles? Jorge Amado? Pelé? Paul Newman? Tiger Woods? Albert Einstein? Picasso? Zico? Etc.?…

    O rapaz fez uma pausa e continuou:

    - Todos esses talentos que marcaram a história fazendo o que gostam e o que sabem fazer bem, ou seja, fizeram seu talento brilhar. E, portanto, mostraram que são sim, insubstituíveis. Que cada ser humano tem sua contribuição a dar e seu talento direcionado para alguma coisa. Não estaria na hora dos líderes das organizações reverem seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da sua equipe, em focar no brilho de seus pontos fortes e não utilizar energia em reparar seus 'erros ou deficiências'?

    Nova pausa e prosseguiu:

    - Acredito que ninguém se lembra e nem quer saber se BEETHOVEN ERA SURDO , se PICASSO ERA INSTÁVEL , CAYMMI PREGUIÇOSO , KENNEDY EGOCÊNTRICO, ELVIS PARANÓICO… O que queremos é sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, resultado de seus talentos. Mas cabe aos líderes de uma organização mudar o olhar sobre a equipe e voltar seus esforços, em descobrir os PONTOS FORTES DE CADA MEMBRO. Fazer brilhar o talento de cada um em prol do sucesso de seu projeto.

    Divagando o assunto, o rapaz continuava.

    - Se um gerente ou coordenador, ainda está focado em 'melhorar as fraquezas' de sua equipe, corre o risco de ser aquele tipo de ‘técnico de futebol’, que barraria o Garrincha por ter as pernas tortas; ou Albert Einstein por ter notas baixas na escola; ou Beethoven por ser surdo. E na gestão dele o mundo teria PERDIDO todos esses talentos.

    Olhou a sua a volta e reparou que o Diretor, olhava para baixo pensativo. O volto a dizer nesses termos:

    - Seguindo este raciocínio, caso pudessem mudar o curso natural, os rios seriam retos não haveria montanha, nem lagoas nem cavernas, nem homens nem mulheres, nem sexo, nem chefes nem subordinados… Apenas peças… E nunca me esqueço de quando o Zacarias dos Trapalhões que 'foi pra outras moradas'. Ao iniciar o programa seguinte, o Dedé entrou em cena e falou mais ou menos assim: "Estamos todos muito tristes com a 'partida' de nosso irmão Zacarias... e hoje, para substituí-lo, chamamos:…NINGUÉM…Pois nosso Zaca é insubstituível.” – concluiu, o rapaz e o silêncio foi total.

    Conclusão:

    PORTANTO NUNCA ESQUEÇA:

    VOCÊ É UM TALENTO ÚNICO!

    COM TODA CERTEZA NINGUÉM TE SUBSTITUIRÁ!

    "Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo..., mas posso fazer alguma coisa. Por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso."

    "NO MUNDO SEMPRE EXISTIRÃO PESSOAS QUE VÃO TE AMAR PELO QUE VOCÊ É… E OUTRAS… QUE VÃO TE ODIAR PELO MESMO MOTIVO… ACOSTUME-SE A ISSO… COM MUITA PAZ DE ESPÍRITO…"

    É bom para refletir e se valorizar!

    Bom dia... INSUBSTITUÍVEL!!!!!

     

    segunda-feira, 14 de novembro de 2011

    Preparadores: descanso é o segredo para Vasco manter fôlego na reta final

    Preparador do Flu na arrancada de 2009, Ronaldo Torres diz que com maratona de jogos, às vezes, é melhor nem treinar. Poletto concorda


    Por Renata Domingues Rio de Janeiro
     

    A quatro rodadas do fim do Campeonato Brasileiro, o Vasco, vice-líder com apenas uma vitória a menos que o Corinthians, briga também pelo título da Copa Sul-Americana. Na semifinal da competição internacional, o campeão da Copa do Brasil, que já tem vaga garantida na Libertadores, tem chances reais de encerrar a temporada com mais duas taças. Mas levando em conta o fato de o time da Colina ser o terceiro clube que mais atuou em 2011 - já foram 69 jogos, dois a menos que Santos e Ceará -, a dúvida é: os jogadores vascaínos vão ter fôlego para seguirem competitivos nos dois torneios nesta reta final? Baseando-se na campanha do Fluminense, que será rival do Vasco na penúltima rodada do nacional, em 2009, dá para dizer que é possível.
    jogadores no treino do Vasco (Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo)Jogadores do Vasco durante treino físico em São Januário (Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo)
    Há dois anos, o time tricolor chegou à final da Copa Sul-Americana ao mesmo tempo em que lutava contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. O primeiro objetivo não foi alcançado, e a LDU ficou com o título. Mas o segundo foi atingido com louvor. Após uma campanha ruim, a equipe então comandada por Cuca chegou a 11 jogos sem perder, sendo seis vitórias seguidas, e garantiu a permanência na Série A na última rodada. Por trás daquele grupo, estava o preparador físico Ronaldo Torres. Hoje no Bahia de Joel Santana, ele explica que o segredo do sucesso no fim de temporada é simples: descansar. Para Torres, diminuir a intensidade dos treinamentos é fundamental para a recuperação dos atletas após o desgaste com a sequência de jogos.
    Jogo é treinamento. Neste momento, não se pode desgastar o atleta"
    Ronaldo Torres
    - Chegando ao fim do ano, todos os clubes começam a entrar em declínio natural. No caso do Fluminense, era um momento de vida ou morte. Os jogadores estavam muito desgastados física e emocionalmente. Você precisa se superar no lado psicológico, mas pelo lado orgânico, tem que ter muita recuperação. Eu descansava muito a equipe. Falava com o Cuca o seguinte: vamos trabalhar na academia do hotel porque os jogos são o pico máximo do desgaste físico. Não tem necessidade agora de aumentar a carga. Quem está bem vai continuar. Peguei os jogos como pico máximo do treinamento físico. Jogo é um treinamento. Durante a semana, treinava quem não vinha jogando e segurava os que estavam jogando. É um momento em que você não pode desgastar o atleta - explicou Ronaldo.
    E é exatamente isso que o Vasco vem fazendo. Com exceção do jogo contra o Universitario, quando precisava correr atrás do placar, o técnico Cristóvão Borges optou sempre por escalar um time misto na Sul-Americana. Além disso, nas vésperas de alguns jogos fora do Rio de Janeiro, pelo Brasileirão, a equipe abriu mão do treinamento para não sobrecarregar os atletas. Nas atividades que precederam a vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo, no último domingo, a comissão técnica deu preferência a trabalhos regenerativos devido ao desgaste com a virada por 5 a 2, na quarta-feira. Após o jogo no Engenhão, a equipe já volta a entrar em campo nesta quarta, contra o Palmeiras, em São Paulo.
    - Sabemos que o mais importante neste momento é administrar o preparo físico dos jogadores. E é por isso que precisamos ter um elenco de qualidade como é o nosso. Nosso grande segredo foi conseguir dosar a energia. Sofremos com pequenas lesões musculares, mas nada grave. Sempre com peças que mantiveram o alto nível. Ficamos no topo porque conseguimos essa regularidade - disse o preparador físico do Vasco, Rodrigo Poletto.
    O trabalho de Poletto no clube cruz-maltino, aliás, ganhou muitos elogios do experiente Ronaldo Torres:
    - O preparador do Vasco é muito bom. Gostaria de parabenizá-lo. Muito bom trabalho. O Vasco está muito bem.
    ronaldo torres fred fluminense (Foto: Wallace Teixeira/ Photocamera)Ronaldo Torres, hoje no Bahia, conversa com o
    tricolor Fred (Foto: Wallace Teixeira/ Photocamera)
    Campeão brasileiro com o Fluminense em 2010, Ronaldo Torres disse ainda que neste fim de temporada a parceria entre o técnico e os demais membros da comissão é fundamental para o trabalho dar certo. Ele lembra que em 2009, Cuca, então treinador tricolor, lhe dava total liberdade para decidir que tipo de treinamento seria aplicado.
    - O Cuca concordava sempre. É um dos melhores amigos que tenho no futebol, como Joel e Muricy. Todos me ouviam muito. Sempre explico para os treinadores e para os atletas para que servem os treinamentos. Falo de fisiologia, não invento. Não tive problema nenhum, ele sempre entendeu o que eu disse para ele - afirmou.
    E para o Vasco garantir fôlego extra na maratona de jogos deste fim de ano, Torres aconselha trabalhos de potência no lugar dos de resistência. Para ele, o principal objetivo a essa altura é liberar os radicais livres para dar leveza aos jogadores.
    - O atleta sempre tem uma reserva para dar. Há momentos em que é importante fazer um trabalho na bicicleta para liberar os radicais livres através do suor. A pessoa sente uma sensação de leveza. No Fluminense, eu dava muita ênfase no trabalho de potência com a corda elástica, por exemplo, priorizando o trabalho muscular não orgânico. Você tem que descansar o atleta quando ele trabalha muito a resistência, que são os jogos. Ele começa a diminuir a testosterona, o hormônio masculino, e começa a diminuir a força muscular. A testosterona é utilizada no músculo, por isso, o homem é mais forte do que a mulher. Não se pode dar um trabalho longo durante o treinamento ou você vai dar uma sobrecarga no atleta - comentou.
    Fora a parte física, tanto Torres como Poletto destacam que ter equilíbrio emocional é essencial para o jogador superar a ansiedade natural de quem está envolvido em disputa de título ou contra o rebaixamento. Ídolo do Fluminense, Fred vai além. Para o atacante, que já fazia parte do grupo tricolor que evitou a queda em 2009, motivação e superação são as palavras de ordem.
    Clubes Número de jogos ate agora
    Santos 71
    Ceará 71
    Vasco 69
    Coritiba 68
    Internacional 67
    - Nós levamos mais na marra mesmo em 2009. Na base da superação, da motivação... E por muito pouco não conseguimos o título da Sul-Americana. Mas não sei se fazer isso sem ser por causa de uma situação extrema, como era a nossa, seria a melhor opção. O Vasco está fazendo isso em 2011 e tem se saído bem porque tem um grande elenco. Naquela época, nosso grupo tinha muita garotada - disse Fred.
    Com a semifinal da Copa Sul-Americana, fase na qual enfrentará o vencedor do confronto entre Universidad de Chile e Arsenal de Sarandí em jogos de ida e volta, o Vasco ainda terá ao menos mais seis jogos em 2011 (Palmeiras, Avaí, Fluminense e Flamengo são os próximos adversários no Brasileirão) e vai igualar Santos e Ceará. Ao fim da temporada, os três terão feito 75 jogos. O time da Colina, no entanto, pode ir à final da competição internacional e, neste caso, encerrará o ano com nada menos do que 77 partidas disputadas, tornando-se o time brasileiro que mais atuou em 2011. Dos jogadores do Vasco, até o momento, Fernando Prass é o único que esteve em campo em todos os jogos do time.
    Colaboraram Edgard Maciel de Sá e Rafael Cavalieri

    Agora, o sal faz bem à saúde

    Nova pesquisa sugere que a recomendação para reduzir a ingestão de sal pode aumentar os níveis de gordura no sangue e causar doenças


    Brasileiros ingerem mais do que o dobro da quantidade diária de sódio recomendada (Foto: ÉPOCA)
    Um estudo publicado hoje no jornal da Associação Americana de Hipertensão contraria a orientação que médicos e nutricionistas dão a seus pacientes: reduzir a quantidade de sal na alimentação. A pesquisa, liderada por cientistas europeus, sugere que diminuir a ingestão de sal pode prejudicar a saúde, não fazer bem. O sal contém sódio, um mineral essencial à vida, mas que, em excesso, pode causar problemas, como aumento da pressão arterial. Ela leva a doenças cardiovasculares, como infartos e derrames. Os brasileiros consomem em média 12 gramas de sal por dia, quantia 2,5 vezes maior do que a recomendada. Estima-se que, se apenas 5 gramas fossem ingeridas diariamente, haveria uma queda de 15% nas mortes causadas por derrames e de 10% naquelas ocasionadas por infarto. Outros 1,5 milhão de brasileiros deixariam de tomar remédio para baixar a pressão.
    O grupo do cientista dinamarquês Niels Graudal, do Hospital da Universidade de Copenhague, analisou o resultado de 167 estudos já publicados. Concluiu que reduzir o sódio na alimentação ajudou, sim, os voluntários a baixar a pressão arterial. Mas a privação aumentou a quantidade no organismo de fatores que também causam problemas cardiovasculares. A restrição alimentar aumentou em 2,5% os níveis de colesterol e em 7% o de triglicérides. Ambos são tipos de gordura que podem se acumular nos vasos sanguíneos.
    Os autores do estudo dizem que faltam pesquisas para entender os efeitos em cadeia da redução de sódio. O que é mais seguro: reduzir a pressão e aumentar os níveis de gordura ou baixar os níveis de gordura e aumentar a pressão?
    A pesquisa do grupo dinarmaquês é mais uma de uma safra recente que questiona o consenso científico sobre a necessidade de reduzir a ingestão de sódio para evitar doenças cardiovasculares. Em maio, o pesquisador Jam Staessen publicou no Journal of The American Medical Society (Jama) outro estudo sugerindo que reduzir a ingestão de sódio não é boa ideia. Staessen, da Universidade de Leuven, na Bélgica, acompanhou mais de 3.600 europeus durante 8 anos. Morreram mais voluntários do grupo que consumia menos sal do que do grupo que consumia mais sal. O estudo foi criticado na comunidade científica por ter falhas metodológicas.
    O debate parece estar apenas no começo. Leva-se anos para construir consenso científico sobre um assunto. Há décadas os pesquisadores estudam os efeitos do sódio no organismo e estavam seguros sobre as vantagens em reduzir seu consumo. Enquanto a polêmica não se resolve, talvez, o melhor seja seguir a recomendação de sempre e ficar de olho no saleiro.

    domingo, 6 de novembro de 2011

    Tabela de Calorias - produtos Mc Donald's



    Frutas frescas
    Tabela de Calorias

    Produtos McDonald´s
    Produtos Quantidade
    Kcal.
    HamburgerUnidade
    296
    CheeseburgerUnidade
    304
    BigMacUnidade
    590
    Quarterão c/ QueijoUnidade
    530
    Cheddar McMeltUnidade
    550
    MacBaconUnidade
    410
    McChickenUnidade
    491
    McFishUnidade
    394
    Chicken McNuggetsUnidade
    63
    Sundae de CarameloUnidade
    293
    Sundae de MorangoUnidade
    260
    Sundae de ChocolateUnidade
    295
    Torta de MaçãUnidade
    241
    Torta de BananaUnidade
    209
    McCookiesPorção
    288
    Sorvete de casquinha/baunilhaUnidade
    284
    McShake morangoPequeno
    282
    McShake morangoMédio
    463
    McShake chocolatePequeno
    283
    McShake chocolateMédio
    465
    McFruit laranja
    Médio
    280
    McFruit maracujápequeno
    159
    McFruit maracujáMédio
    302
    Coca-cola300ml
    168
    Coca-cola500ml
    281
    Coca-cola700ml
    394
    Diet coke300ml
    0,6
    Diet coke500ml
    1
    Diet coke700ml
    1,4
    Guaraná300ml
    149
    Guaraná500ml
    242
    Guaraná700ml
    338
    Diet guaraná300ml
    0,6
    Diet guaraná500ml
    1
    Diet Guaraná700ml
    1,4

    sábado, 22 de outubro de 2011

    O ovo é calórico? Não, e é muito nutritivo

     


    Um dos alimentos mais ricos da pirâmide alimentar vem sofrendo preconceito. Aproveite o Dia Mundial do Ovo (comemorado na segunda sexta-feira de outubro) para saber o que é fato e o que é mito sobre ele

    Quantas vezes você já ouviu falar que ovo tem muito colesterol? Ou que engorda? Ou que a única coisa boa nele é a clara? São ideias que já estão disseminadas, mas pouco se sabe sobre os reais benefícios nutricionais deste alimento.

    Ele é riquíssimo em proteína (6,5 gramas por ovo) e possui 13 vitaminas essenciais – todas as do complexo B e é um dos poucos alimentos ricos em vitamina D. E também possui magnésio, selênio, zinco, ferro, cobre e cálcio (antioxidantes), além de manganês, fósforo e sódio. É rico em colina, “um nutriente que protege o neurônio na condução de impulsos relacionados à memória e, nas gestantes, reduz os riscos de defeito do tubo neural do feto”, afirma a nutricionista Lucia Endriukaite, membro do Conselho Brasileiro de Fitoterapia.

    Com todas essas propriedades, um ovo cru tem pouco mais de 70 calorias. É o mesmo que um bifinho de 50 gramas de filé mignon cru ou uma bolacha recheada. Apenas 37,4% das gorduras de um ovo são consideradas ruins, ou saturadas – 46% são monoinsaturadas (presentes no azeite de oliva, por exemplo) e 16%, poli-insaturadas (as mais conhecidas são Ômega-3 e 6). A melhor forma de comê-lo é cozido em água. Ao fritá-lo, suas calorias sobem para 100, já que há um aumento de cerca de 40% de gordura, segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

    Em 1999, o Journal of the American Medical Association publicou um artigo dizendo que o colesterol que ingerimos em nossa dieta tem menos impacto no nível de colesterol do sangue que a gordura saturada que consumimos. Para equilibrar o colesterol do sangue, portanto, é preciso manter um peso saudável, praticar atividade física, reduzir o consumo de gorduras saturadas (queijos, manteiga, gordura das carnes, embutidos e creme de leite) e gorduras trans e aumentar a quantidade de frutas, verduras e fibras. Segundo o Instituto Ovos Brasil, se a dieta for balanceada, não será necessário cortar nem reduzir o consumo de ovos. A não ser que um médico ou nutricionista faça essa recomendação.

    E (pasme!) não é novidade que o ovo pode ajudar a emagrecer. Há três anos, uma pesquisa da Universidade do Estado da Louisiana revelou que comer esse alimento pela manhã faz diferença em dietas de emagrecimento. Os pesquisadores dividiram 152 pessoas em dois grupos. Um deles ingeriu dois ovos pela manhã e, o outro, um bagel (pão típico americano). Depois de oito semanas, a perda de peso entre os que comeram ovo foi 65%. O índice de redução de cintura foi 34% maior, assim como a redução de gordura, 16% maior. “Tal estudo comprova o mesmo que foi apontado pelo experimento publicado em 2005 no Journal of the American College of Nutrition”, diz Lucia. Este, de seis anos atrás, concluiu que as pessoas que ingerem ovo pela manhã se sentem mais saciadas, ingerindo menos calorias ao longo do dia.

    Um ovo tem apenas 70 calorias e inúmeros nutrientes (Foto: SXC.hu)

    Se ainda assim você tem dúvidas em relação ao que ouve sobre o ovos, conheça sete mitos sobre eles, com explicações da nutricionista Lucia Endriukaite.

    Comer muito ovo aumenta o colesterol no organismo
    Mito: 70% do colesterol sanguíneo é produzido pelo fígado, e fatores como predisposição genética, obesidade, tabagismo, sedentarismo e ingestão reduzida de fibras têm maior influência para o aumento das taxas no sangue do que a quantidade de colesterol ingerido.

    Ovo é um alimento altamente calórico
    Mito: Um ovo contém em média apenas 70 calorias, o mesmo que uma bala, ou uma fatia média de goiabada, ou uma única bolacha recheada, ou uma fatia de pão de centeio.

    Ovos vermelhos são mais nutritivos que ovos brancos
    Mito: A cor da casca dos ovos se refere somente à raça da galinha.

    Ovos caipiras possuem maior quantidade de nutrientes que ovos de granja
    Mito: Não foi comprovada nenhuma diferença significativa entre os nutrientes encontrados nos ovos provenientes dos diversos tipos de criação: caipira, orgânico ou industrial. As quantidades encontradas nos ovos se referem a um padrão necessário para a formação do pintinho e não têm relação com o processo produtivo. A única exceção é a cor amarela da gema que pode ser mais forte no ovo caipira ou orgânico. Isso porque a galinha se alimenta de gramíneas e insetos.

    Ovos orgânicos não contêm hormônio
    Mito: Nenhum tipo de ovo contém hormônio. O uso de hormônio, além de proibido pela legislação brasileira e fiscalizado pelos órgãos competentes, não tem qualquer utilidade na avicultura, seja de corte (frango) ou de postura (ovos), por inviabilidade técnica e produtiva. Seu uso nesse tipo de criação não surte qualquer efeito prático.

    Os ovos são os grandes vilões das intoxicações alimentares
    Mito: As intoxicações estão mais relacionadas à manipulação e armazenagem dos alimentos, bem como a higiene e limpeza do ambiente de trabalho e utensílios utilizados, do que com a contaminação interior do ovo. A probabilidade de um ovo estar contaminado por salmonella é muito baixo, cerca de 1 em 30.000. Mesmo assim, a Anvisa recomenda e normatiza que ovos devem ser consumidos bem cozidos (clara e gema consistentes). Ao atingir temperaturas superiores a 75º C, o cozimento elimina qualquer tipo de bactéria.

    Somente as claras de ovo fornecem proteína
    Mito: Quase metade das proteínas do ovo (6,5g no total) se encontram na clara (3,8g); a outra metade se encontra na gema (2,7g). O ovo é excelente fonte de proteína, pois reúne sozinho todos os aminoácidos essenciais.

    A Cartilha sobre Boas Práticas para Serviços de Alimentação da Anvisa recomenda:
    • Compre sempre ovos de origem conhecida e inspecionados pelos serviços oficiais;
    • Ao comprar ovos, certifique-se da data de validade e que não estejam com a casca suja, trincada ou quebrada;
    • Mantenha-os em local limpo, fresco e arejado, preferencialmente em geladeira após comprá-los;
    • Lave com água e sabão as superfícies de trabalho, utensílios e mãos antes de manusear o produto cru;
    • Lave os ovos somente antes de utilizá-los, em água corrente, sem imersão;
    • Coma ovos e os alimentos feitos dele bem fritos e cozidos;
    • Os alimentos preparados com ovos devem ser armazenados na geladeira para melhor conservação.

    terça-feira, 11 de outubro de 2011

    Banana: saiba mais sobre a fruta que só faz bem


    Fruta mais célebre do Brasil promove energia e possui muitos benefícios ao nosso organismo



    Esqueça a ideia propagada pela marchinha de Carnaval. Os benefícios da banana são muito maiores do que o slogan “engorda e faz crescer”. Ela é uma excelente aliada para a boa saúde. Rica em fibras, potássio, vitaminas C e A, a fruta mais célebre do Brasil promove energia e possui muitos benefícios ao nosso organismo. Possui também grande quantidade de vitaminas B1, B2, B6 e B12, além de magnésio, cálcio, ferro e ácido fólico.
     
    A banana contém três tipos de açúcares naturais: sacarose, frutose e glicose, que combinados com as fibras, promovem grande energia: como tem 22% de carboidratos, ela é realmente mais calórica do que algumas outras frutas: uma unidade (70 g) de banana-prata fornece 62 calorias.
     
    — Apesar disto, ela em alto valor nutricional, provoca sensação de saciedade e pode fazer parte da alimentação se consumida com moderação, sem contribuir para o ganho de peso — afirma a nutricionista funcional Patricia Davidson Haiat.
     
    O indicado é comer, no máximo, duas unidades por dia. Um estudo realizado por três prestigiadas universidades (Berkeley, Cambridge e Twickenham), buscou o alimento considerado perfeito e completo em sua composição e ao alcance da maioria da população. Foi mostrado que, para pessoas que desejam uma solução rápida, não há melhor alimento do que a banana. Uma outra pesquisa, publicada no Journal of the American College of Cardiology, ressaltou que ela melhora a fluidez do sangue, evitando a formação de coágulos. Segundo os cientistas, quem come três bananas por dia tem risco até 21% menor de sofrer um acidente vascular cerebral.
     
    Saiba mais sobre a banana
     
    :: A banana contém uma substância chamada serotonina, que ajuda a relaxar e manter o bom humor, portanto pode ajudar pessoas que sofrem de depressão.
     
    :: Por conter ferro, estimula a produção de hemoglobinas e ajuda em caso de anemia.
     
    :: Rica em potássio e pobre em sal, perfeita para baixar a pressão arterial.
     
    :: Ricas em fibras, a inclusão de bananas nas dietas ajuda a normalizar o trânsito intestinal, permitindo melhorar os problemas de constipação sem o uso de laxantes.
     
    :: A banana acalma o estômago e ajuda na digestão.
     
    :: Comer uma banana entre as refeições ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue elevados, combatendo o cansaço.
     
    :: Seu alto teor de vitamina B acalma o sistema nervoso.
     
    :: A fruta ajuda a normalizar o batimento cardíaco, que auxilia a ida do oxigênio para o cérebro e que regula a repartição de água pelo corpo.
     
    :: A banana também diminui as câimbras, contendo bastante vitamina B6 e B12, indicada para quem parou de fumar, pois tira os efeitos da falta de nicotina.
     
    :: Tem baixo teor de gordura, vitaminas A, B1, B2, B6, C, D e E e os minerais fósforo, cálcio, ferro e potássio, sua grande arma, que ajuda a evitar cãibras e dores musculares.